A economia digital introduziu urgência na necessidade de gerenciar TI estrategicamente. Líderes empresariais e CIOs descobriram que, para planejar, implementar e usar as plataformas digitais, eles precisam de um conjunto expandido de recursos de TI.

 

A TI vista como função estratégica dentro da organização – e não apenas como método de redução de custos e integração – forma um cenário favorável para o surgimento da Tecnologia Empresarial. Em uma publicação recente aqui no blog da OPUS Software, discutimos sobre a terminologia “Enterprise Technology” como o futuro da TI. De que forma, entretanto, a TI pode agregar valor estratégico para a organização?

Publicado pelo Center for Information Systems Research (CISR) do MIT, o estudo sobre criação de valor estratégico em pesquisa feita com mais de 200 CIOs e líderes empresariais aponta quatro atividades essenciais que, funcionando como um ciclo, geram resultados positivos: Commit, Build, Run, e Exploit – comprometer, construir, executar e explorar. Nesse ciclo, a empresa deve se comprometer a lidar com TI de forma estratégica de forma a poder explorar as plataformas digitais que ela cria e executa.

CRIAÇAO DE VALOR ESTRATEGICO

The IT Value Creation Cycle – “The IT unit of the future: creating strategic value from IT”

Nos últimos anos, a TI concentrou-se em construir (build) e executar (run), obtendo ótimos resultados, mensuráveis inclusive. Porém, o desenvolvimento efetivo dessas atividades é apenas o primeiro passo para o sucesso continuado das empresas. Aquelas que atingiram um nível razoável de maturidade nas atividades construir e executar podem aumentar o valor da TI ao desenvolver as atividades comprometer(commit) e explorar(exploit).

Comprometer e Explorar

Comprometer significa alocar os recursos de negócios e de TI para atingir objetivos estratégicos da empresa. Deve articular suas prioridades estratégicas em função das suas exigências operacionais e direcionar recursos de acordo com elas. Porém, de acordo com a pesquisa, há pelo menos duas grandes dificuldades para colocar essa atividade em prática:

1)    A maioria dos executivos têm dificuldades em articular estratégias em termos práticos e operacionais, tendendo a focar apenas em objetivos financeiros, que não necessariamente indicam à empresa como usar seus recursos ou aplicar a tecnologia.

2)    Como a estratégia da empresa é normalmente traduzida apenas em planos de negócio anuais, isso faz com que somente projetos de mudança que perseguem objetivos de curto prazo sejam endereçados, ignorando os objetivos estratégicos de longo prazo – plurianuais

Explorar, por sua vez, significa buscar benefícios adicionais a partir das capacidades de negócios e de tecnologias já existentes. O explorar eficaz aproveita as plataformas digitalizadas para melhorar continuamente o desempenho dos negócios. Assim, ajuda a empresa a identificar novas oportunidades de investimento que irão alimentar a atividade do comprometer, completando, então, o círculo da criação de valor em TI.

Da mesma forma que o comprometer, a atividade explorar também tem suas dificuldades:

1)    É mais fácil construir novos sistemas do que extrair valor dos já existentes. Muitos líderes frequentemente voltam sua atenção ao desenvolvimento de novos sistemas em vez de aumentar o valor daqueles já construídos.

2)    A mudança é difícil. Poucas empresas aprenderam a organizar mudanças de negócios em andamento para melhor desempenho dos próprios em um ritmo que a organização possa absorver.

O estudo também mostra algumas empresas que aplicaram de maneiras diferentes o ciclo de criação de valor estratégico em TI e obtiveram sucesso. Prevê que no futuro a área de TI não deterá todas as atividades de comprometer, construir, executar e explorar, mas os líderes de TI terão de coordenar todas as quatro atividades para garantir que a empresa gere valor estratégico aos negócios da organização partir da TI.

E conclui: amadurecer as quatro atividades do ciclo de criação de valor em TI exigirá o desenvolvimento de novas capacidades não só na área, mas em toda a empresa, as quais deverão, por sua vez, render grandes dividendos.

Esse é o caminho? Deixe seu comentário.

Leia mais sobre o estudo fazendo o download do artigo pelo site do CISR – MIT.

Inovação em serviços deve ser alavancada pela engenharia e pela ciência
Investimento em pesquisa e desenvolvimento é diferencial competitivo

Compartilhe

Compartilhe este post com seus amigos