O conceito de IoT, Internet of Things ou Internet das Coisas, é baseado na capacidade de objetos físicos com tecnologia embarcada se comunicarem entre si ou com outros sistemas, transmitindo dados e funcionando de forma sincronizada.

O tema tem recebido bastante atenção, devido ao seu potencial disruptivo em diversos segmentos, como no agronegócio, indústria e meios de pagamento.

Segundo a software.org, a estimativa é que até 2020, mais de 50 bilhões de dispositivos no mundo estarão conectados.

As aplicações do conceito da IoT permitem, por exemplo, automatizar um sistema de monitoramento do termostato da sua casa, ou integrar o sistema de irrigação de uma colheita a sensores meteorológicos.

 

Como a IoT irá revolucionar os meios de pagamento?

 

A velocidade das mudanças dentro do setor de meios pagamentos tem sido enorme. Com o mundo cada vez mais digital, realizar pagamentos pela internet através do computador ou celular já faz parte da rotina de muita gente.

Porém, a IoT ampliará ainda mais possibilidades nesse mercado. Atualmente, já é possível realizar pagamentos através de dispositivos vestíveis, como relógios, pulseiras ou óculos – os chamados wearables. Grande parte deles utiliza a tecnologia NFC (Near Field Communication), que realiza transações por proximidade.

Recentemente a Apple lançou com exclusividade de três meses para o Banco Itaú o seu produto Apple Pay – disponível apenas para a versão crédito, por enquanto. O serviço autoriza que você faça compras utilizando o celular ou relógio da marca. Outros concorrentes também já chegaram ao Brasil, como Samsung Pay e Google Pay.

Além do uso dos wearables, o conceito da IoT permite que uma ordem de compra seja realizada por um objeto, através de um botão ou de forma automatizada. Exemplo dessa aplicação poderia ser uma impressora, que ao detectar que a tinta está acabando, automaticamente realiza uma ordem de compra.

 

Caso Visa Ready

 

A Visa é reconhecida por trazer inovações e soluções seguras no segmento de pagamentos. A empresa percebeu a movimentação em torno da IoT e decidiu expandir o seu programa Visa Ready para certificar e garantir experiências focadas nessa tecnologia.

Basicamente, a Visa fornece aos fabricantes de dispositivos um caminho para inserir pagamentos seguros nos seus devices conectados. Ou seja, com apenas um clique, qualquer objeto se torna passível de iniciar transações. Seus parceiros estratégicos, como Accenture e Samsung, podem trabalhar com esses fabricantes para elaborar novas experiências de pagamentos aos consumidores – utilizando o processo de certificação Visa Ready. São eles que também solicitam o Visa Token Service para trazer segurança aos pagamentos móveis e digitais.

Conclusão

 

O desenvolvimento de tecnologias que permitem que objetos, veículos e construções estejam conectados irá abrir diversas oportunidades de inovação no setor de meios de pagamento.

A instituições financeiras devem permanecer próximas dos ecossistemas nos quais o conceito da IoT está evoluindo, com o objetivo de identificar oportunidades de novos negócios e de melhorar a experiência de seus clientes.

 

 

 

 

 

O que é API First Design?
O que é GDPR?

Compartilhe

Compartilhe este post com seus amigos