Entender os modelos de compra de capacidade de processamento e a precificação de cada um deles pode parecer tarefa complicada para quem começa a percorrer o mundo da Amazon Web Services (AWS). Porém essa sensação desaparece rapidamente assim que passamos a pensar de acordo com as regras da Nuvem: não precisamos mais estocar recursos em  forma de máquinas e discos para eventuais momentos de pico; podemos comprar capacidade sob demanda quando necessário.

A AWS oferece três diferentes modelos de compra de capacidade de processamento.

1.INSTÂNCIAS RESERVADAS (Reserved Instances)

Ao comprar uma instância reservada, você paga um valor inicial para reservá-la ao seu uso por um ou três anos. A taxa de utilização, paga por hora, é mais baixa do que a da instância sob demanda. Além disso, garante que sempre seja possível iniciar uma instância reservada na zona da disponibilidade que você já comprou.

Desvantagem:  o usuário tem de desembolsar um bom dinheiro no pagamento inicial para reservá-la, além de perder a flexibilidade de aumentar a capacidade da instância ou de mudá-la de zona de disponibilidade.

Melhor escolha:

  • Aplicações que têm um uso constante e contínuo. Quanto menos variável for a necessidade de processamento da aplicação e quanto menos horas ela for subutilizada em um período, mais vantajosa é a compra de instâncias reservadas.
  • Aplicações que precisem de capacidade reservada.

Aplicações que precisem de capacidade reservada.

2.INSTÂNCIAS SOB DEMANDA (On-demand Instances)

São instâncias iniciadas quando necessário e o pagamento corresponde apenas à quantidade de horas utilizadas. Nessa modalidade encontra-se toda a flexibilidade da Nuvem. Em um momento de pico, pode-se em questão de minutos iniciar novas instâncias ou aumentar a capacidade das já existentes; além disso, num momento de baixo uso, as instâncias ociosas podem ser desligadas.

Desvantagem: se o momento de pico da sua aplicação for o coincidir com o momento de pico de muitas outras aplicações na sua zona de disponibilidade, você poderá não conseguir dar início a novas instâncias ou aumentar a capacidade das existentes.

Melhor escolha:

  • Aplicações que tenham um perfil de uso não constante ou imprevisível e que não possam ser interrompidas. Perante a necessidade de mais capacidade de processamento, instâncias sob demanda podem ser iniciadas, assim como, diante de capacidade ociosa, instâncias podem ser desligadas. Tudo isso é possível sem ter de fazer um desembolso inicial para reserva de capacidade.

3. INSTÂNCIAS SPOT (Spot Instances)

São as instâncias compradas da Amazon em uma espécie de leilão da capacidade ociosa. Você define qual o valor máximo por hora que está disposto a pagar por uma instância X e, caso a Amazon tenha capacidade de processamento ociosa na zona de disponibilidade escolhida, você leva a instância – geralmente por um valor bem abaixo do valor de uma instância sob demanda.

Desvantagem: como não existe almoço grátis, se a Amazon precisar de capacidade de processamento para iniciar instâncias sob demanda, ou se algum outro usuário oferecer um valor maior pela mesma instância (é um leilão!), você a perde na hora, sem aviso e sem dó. Por isso não é qualquer tipo de aplicação que está preparada para rodar em instâncias spot.

Melhor escolha:

  • Aplicações que podem ser iniciadas ou terminadas a qualquer momento.
  • Para aplicações que só são viáveis com um custo bem baixo.
  • Para usuários com grande necessidade de processamento por um período curto.

Conclusão
Embora esses três modelos de compra de capacidade de processamento em cloud computing da AWS tenham sido apresentados isoladamente, na prática a melhor relação custo/benefício para uma determinada aplicação encontra-se em uma combinação dos três modelos. Para chegar o mais próximo possível do ponto ótimo, não existe mágica. Um bom ponto de partida é a análise dos requisitos não funcionais da aplicação, como perfil de uso esperado, SLA, risco etc. Com isto define-se uma combinação inicial que pode ser, então, monitorada e ajustada continuamente.

Veja também: Alta disponibilidade das Aplicações na Nuvem da Amazon


 

Disaster Recovery e a Nuvem em Pequenas e Médias Empresas
Transferência de dados na Nuvem

Compartilhe

Compartilhe este post com seus amigos