Dentro de uma economia cada vez mais competitiva, empresas modernas precisam ter a capacidade de responder rapidamente aos anseios de seus clientes. Quando falamos de companhias nas quais a tecnologia é um fator de diferenciação, a agilidade se torna ainda mais importante.

 

Desta forma, ter uma arquitetura de software que permita à empresa reagir ao mercado com agilidade é fundamental.

E esse é apenas um dos benefícios de implementar a arquitetura de micro serviços, modelo utilizado por empresas como Netflix e Spotify.

 

Mas afinal, o que são micro serviços?

 

Diferentemente da tradicional arquitetura monolítica, a arquitetura de micro serviços é uma abordagem na qual a aplicação é estruturada através de vários pequenos serviços autônomos, que trabalham de forma conjunta. Cada micro serviço é feito em torno de capacidades do negócio específicas, como interface com usuário, faturamento ou atendimento. O processo de implantação dos serviços é realizado de forma independente e automatizada, possibilitando entregas contínuas mesmo em sistema grandes e complexos.

 

Abaixo, listamos os principais benefícios de utilizar a arquitetura de micro serviços:

 

1) Escalabilidade:

Como os serviços são independentes, é possível escalar somente as partes do sistema que estão sobrecarregadas.

 

2) Heterogeneidade Tecnológica:

Devido ao fato de os serviços serem fracamente acoplados, é possível que sejam adotas tecnologias específicas para cada trabalho. Por exemplo, se uma parte do sistema necessita de melhor performance, é possível utilizar uma tecnologia específica somente nessa parte. Na mesma lógica, também podemos adotar novas tecnologias mais rapidamente e com menores riscos.

 

3) Resiliência:

Com serviços independentes, se um determinado componente do sistema falhar, é possível isolar o problema sem que a aplicação como um todo deixe de funcionar.

 

4) Facilidade de implantação:

Devido à possiblidade de fazer alterações em um serviço de forma independente, a implantação se torna muito mais simples e ágil. Isso permite que sejam disponibilizadas novas funcionalidades para os usuários mais rapidamente.

 

5) Capacidade de composição:

Como os serviços são independentes e autônomos, é possível que eles sejam utilizados para compor outros sistemas. Dessa forma, as funcionalidades podem ser “emprestadas” para outros negócios totalmente diferentes do projeto original.

 

6) Substituição de código:

Como os serviços são pequenos, esta arquitetura diminui o risco e o custo de substituição total da base de código.

 

7) Manutenção mais eficiente:

Com bases de códigos menores e independentes em cada serviço, as equipes responsáveis por cada micro serviço se tornam mais eficientes por trabalharem focadas numa parte específica do sistema.

 

 

 

 

 

Como impedir que empresas tenham acesso aos seus dados do Facebook
Open Banking no Brasil e o PSD2

Compartilhe

Compartilhe este post com seus amigos