Desde o início da computação comercial (década de 50), os fornecedores de tecnologia estiveram focados nos grandes clientes e seus grandes orçamentos. Mainframes, redes privadas de alta velocidade, arquiteturas de alta disponibilidade, disaster recovery, computação distribuída… Tudo muito eficiente e robusto, mas praticamente inacessível às pequenas e médias empresas dado seu alto custo e excessiva complexidade!
Esse fato acabou deixando as PMEs fora da TI de ponta. Quantas empresas não pensaram em implementar alguma inovação de TI e acabaram desistindo por conta dos custos e da complexidade envolvidos?!

Com Cloud Computing o jogo é diferente. Qualquer empresa, por menor que seja, pode ter acesso a todos os recursos disponíveis. O supermercado do bairro pode usar a mesma tecnologia que suporta a Netflix. Como a utilização de recursos pelo supermercado é bem menor, sua conta é compatível com o seu faturamento.

pequenas e médias empresas

Eis cinco razões pelas quais as pequenas e médias empresas adoram Cloud Computing:

  1. Custo

Como você só paga pelo que realmente usa, o custo de uma infraestrutura na nuvem é na maioria das vezes menor do que o custo de uma infraestrutura convencional, em que você compra as máquinas. O sistema não precisa funcionar de madrugada? Desligue as máquinas e deixe de pagar por elas. O volume de acessos está baixo? Troque a máquina que está usando por uma menor e pague menos. Simples assim.

  1. Agilidade

Provedores convencionais de infraestrutura demoram dias, ou até semanas, para entregar novas máquinas, discos ou qualquer outro recurso para seus clientes.  Na Nuvem, o processo demora apenas alguns minutos.

  1. Flexibilidade

Não precisa mais de uma máquina? É só desligar. Precisa de uma máquina maior? É só aumentar o tamanho. Mais disco? É só definir um novo tamanho para seu disco. A qualquer momento.

  1. Alta disponibilidade

Em uma infraestrutura convencional, alta disponibilidade significa praticamente desperdício de recursos. A maior parte da infraestrutura fica ociosa em condições normais. Somente quando algo falha é que a infraestrutura passa a ser utilizada mais intensamente. Com Cloud Computing, alta disponibilidade passou a ser viável: as infraestruturas podem ser pequenas e de custo baixo. Quando necessário, podem ser aumentadas em poucos minutos.

  1. Disaster Recovery (DR)

DR sempre foi algo associado a bancos, grandes multinacionais e órgãos governamentais dado seu custo até há pouco muito alto. Além do custo de se manter uma infraestrutura redundante praticamente parada, a complexidade envolvida nos processos de replicação segura de informações era um obstáculo. Provedores de Cloud Computing, como a AWS, oferecem elasticidade, permitindo que as infraestruturas redundantes sejam mínimas e os serviços de replicação de informações, um processo seguro e razoavelmente simples.

Fala-se muito sobre redução de custo e agilidade que Cloud Computing promove (até porque esses são atributos mais “vendáveis”). Mas  ao colocar todo mundo no mesmo nível de competição em relação à infraestrutura, a Nuvem apresenta um poder transformador muito maior a longo prazo: uma start-up tem acesso aos mesmos recursos que o maior banco do país! Baixo custo, complexidade menor ainda.

E você? Quais suas razões para adorar (ou odiar) Cloud Computing?


Como Cloud Computing está mudando o mercado de trabalho
Cloud Computing e a exigência de novos conhecimentos

Compartilhe

Compartilhe este post com seus amigos