Como e por que fazer Testes Automatizados

Testes são uma etapa essencial para o sucesso de qualquer software — tanto em seu desenvolvimento quanto em suas atualizações e manutenções. No entanto, os processos de testes não precisam sempre serem feitos à mão. Em alguns casos, é possível fazer testes automatizados de software.

O teste manual de software é feito por um humano que tenta várias combinações de usos e inputs em uma tela para comparar os resultados obtidos com os esperados. Esses testes são repetidos durante os ciclos de desenvolvimento sempre que o código-fonte muda ou quando o sistema está operando em diferentes ambientes e hardwares.

Já os testes automatizados são um conjunto de ações predefinidas que analisam apenas os resultados de um conjunto de ações específicos. Após criados, eles podem facilmente ser aplicados repetidamente.

Quando bem aplicados, os testes automatizados trazem ganhos de eficiência e segurança. Na Opus passamos a automatizar alguns testes de software e tivemos ganhos de 60% a 70% de tempo. Com isso, nosso time de QA conseguiu dar mais atenção a outros aspectos e garantir maior qualidade no software como um todo.

Dentro de um contexto DevOps e de integração contínua no qual deploys são cada vez mais frequentes, os testes automatizados são muito importantes para garantir o funcionamento constante do sistema.

Na Opus, por exemplo, utilizamos ferramentas para que, assim que aconteça o deploy, o teste entre em ação validando o funcionamento do sistema.

Mas o teste automatizado tem o momento e a forma certa de ser implementado. Assim como qualquer automação, exige recursos para ser desenvolvido e possui limitações. Por isso, é importante discutirmos como e quando implementar testes automatizados.

Como escolher entre um testes automatizados e manuais?

Embora o teste automatizado traga mais eficiência, ele não funciona em qualquer situação. Tudo depende de seus objetivos, recursos e maturidade do sistema. Em geral, a hora ideal é quando o software está muito grande e você percebe que está gastando tempo com tarefas repetitivas.

Em geral, os testes automatizados são recomendados quando os testes de software:

  • São muito repetitivos;
  • Tendem a sofrer com erros humanos;
  • Os testes requerem diferentes conjuntos de dados;
  • São atualizados com alta frequência;
  • Rodam em diferentes plataformas de software e hardwares;
  • Estão consumindo muitos recursos humanos.

No entanto, nem sempre é possível utilizar o teste automatizado. Em alguns cenários, o sistema é complexo demais para automatizar. Projetos muito novos e que não passaram por nenhum teste manual também não devem ser automatizados. Os testes à mão são importantes para garantir que os métodos estão funcionando e você está apto a automatizá-los.

Em geral, exames manuais também funcionam melhor para testes de tela, que simulam a experiência do usuário — já que algoritmos simples não conseguem prever os padrões de comportamentos humanos.

Testes automatizados também são ideais para os cenários onde os métodos já são conhecidos e o processo é simples, como em testes de regressão ou de unidade. Nesse caso, eles não só poupam tempo como também trazem mais acerto: o resultado do robô é mais confiável do que o de um humano, sujeito a erros por falta de atenção.

Os testes automatizados também podem ser feitos várias vezes em diferentes estágios do desenvolvimento — sempre rodando ao fundo, o que significa eficiência em tempo.

Prós de Testes Automatizados

  • Ajudam você a encontrar mais erros comparados a um testador humano;
  • Rápidez e eficiencia nos testes, aumentando a produtividade;
  • Script de teste pode ser gerado a partir de gravação de ações do usuário. Isso permite reutilizar e executar o mesmo tipo de operações de teste;
  • O teste automatizado é realizado usando ferramentas de software, por isso funciona sem cansaço e fadiga ao contrário dos humanos em testes manuais;
  • Cobertura de teste pode ser aumentada por causa da ferramenta de teste de automação nunca se esqueça de verificar até mesmo a menor unidade.

Contras de Testes Automatizados

  • Sem elementos humanos, é difícil obter insights sobre os aspectos visuais de sua interface do usuário, como cores, fontes, tamanhos, contraste ou tamanhos de botão;
  • As ferramentas para executar testes de automação podem ser caras, o que pode aumentar o custo do projeto de teste;
  • Depurar o script de teste é outro grande problema no teste automatizado. A manutenção de teste é cara.

Como implementar o teste automatizado

O primeiro passo é criar um plano de automação. Nesse planejamento é importante para determinar seus objetivos, definir os primeiros testes que serão automatizados e quais serão os métodos padrões.

Na sequência, é hora de escolher quais ações você irá automatizar. Nesse ponto, é sempre importante dividir testes grandes e complexos em processos pequenos e simples. Para isso, é preciso deixar cada teste focado em apenas um objetivo.

Uma vez criados testes pequenos e simples, é hora de agrupá-los por funções. Assim, você cria uma árvore de automações de testes para rodar em uma ordem específica.

Mantenha uma cultura de testes automatizados

Mais do que uma tecnologia, a automação de testes de software é uma cultura de eficiência. Para garantir o seu sucesso, os testes devem começar cedo e rodar sempre que necessário.

Quanto antes o teste entrar no ciclo de desenvolvimento, mais bugs você encontrará. E ao garantir que os testes estão rodando constantemente você também garantirá a qualidade na entrega. Vale lembrar que os testes automatizados liberam o tempo de seus analistas, mas eles devem permanecer ainda mais focados em realizar QA e testes complexos.

 

 

 

fique atualizado

Assine nossa newsletter e acompanhe as nossas novidades.