Cloud Computing: A virtualização da área de Tecnologia da Informação

O termo “computação em nuvem” se popularizou nos últimos anos como sinônimo de inovação e economia. A Cloud Computing é um modelo que permite o acesso sob demanda a um conjunto de recursos, como redes, servidores, armazenamento de dados, aplicativos e serviços, gerenciado por um provedor de serviços em cloud (CSP – Cloud Service Provider), de assinatura mensal ou por uso.

A Cloud Computing também inclui uma infraestrutura de Tecnologia da Informação (TI) virtualizada, que possibilita aos provedores de serviços em cloud o maior proveito de servidores, softwares e sistemas operacionais, afinal, o processamento é feito através de uma rede e não em um PC local. A computação em nuvem rompe as barreiras e os limites impostos pelos hardwares físicos, criando diversos servidores virtuais, que não ocupam espaço e implicam, consequentemente, em redução de custo, comparada à infraestrutura tradicional de TI, oferecendo a mesma agilidade aos usuários finais.

De acordo com o “Estudo de Computação em Nuvem” de 2020, da IDG, 92% das empresas utilizam Cloud e a maioria delas planeja continuar utilizando por, pelo menos, mais um ano. Quando falamos de pequenas e médias empresas, a atuação na nuvem também já é uma realidade. Segundo o “Desempenho Global sobre Computação na Nuvem”, pesquisa realizada pela BSA com 24 países que lideram o mercado de TI sobre o número de empresas na nuvem, o Brasil passou da 22ª posição em 2016, para 18ª em 2018. Em 2021, as empresas que ainda não estão na nuvem deixam de ser competitivas e perdem oportunidades de negócios.

Para alcançar os benefícios que a Cloud Computing pode oferecer, CEOs, CIOs e CTOs precisam trabalhar em conjunto, de forma a fazer uma bela jornada rumo à virtualização. De acordo com dados disponibilizados pela Forbes, 31% dos participantes de um webcast recente da CIO Imperative relataram que o valor da nuvem ainda é pouco percebido pelos cargos de governança de TI, implicando em desafios para a integração de sistemas. Quer saber mais sobre os benefícios e os modelos da Cloud Computing? Continue a leitura.

 

Cloud Computing: diferentes modelos de conexão

Os serviços em cloud se dividem em quatro modelos: IaaS (Infraestrutura como Serviço); PaaS (Plataforma como Serviço); SaaS (Software como Serviço) e Serverless (Computação sem Servidor). Não raro, todos são utilizados por uma mesma empresa, se complementando.

IaaS

A Infraestrutura como Serviço é encarregada de disponibilizar toda a infraestrutura para os outros modelos, ela surgiu no início da década de 2010 e foi muito popular na época de seu surgimento.

A IaaS fornece o acesso sob demanda a servidores, rede e armazenamento pela internet, em regime pago conforme o uso, possibilitando aos usuários aumentarem ou diminuírem os recursos conforme necessário, evitando a compra excessiva de recursos.

Apesar da infraestrutura de nuvem ser invisível para o usuário, ele pode controlar completamente os sistemas operacionais, espaço de armazenamento e aplicações alocados por ele, mas não controla certos componentes de rede selecionados, como por exemplo, firewalls baseados em host.

PaaS

A Plataforma como Serviço oferece licenças de software, infraestrutura, manutenção e o que mais for preciso para viabilizar um aplicativo ou site. Este modelo possibilita implantar na nuvem aplicativos de infraestrutura criados usando linguagens de programação.

O usuário não gerencia ou controla a infraestrutura de nuvem subjacente, mas tem controle sobre os aplicativos implantados e suas configurações.

SaaS

O SaaS é um software de aplicativo hospedado em cloud, acessado e usado por um navegador da web, cliente do desktop ou API integrada ao sistema operacional. Diferente do IaaS, os usuários do SaaS normalmente pagam uma assinatura anual, o fornecedor assegura a estrutura necessária para a disponibilização do sistema e o cliente utiliza o software via internet.

O consumidor tem controle e acesso limitado às configurações, redes, servidores e sistemas operacionais de nuvem subjacente. Há milhares de soluções SaaS disponíveis e atualmente é o modelo de entrega primário para a maioria dos softwares comerciais.

Serverless

A computação sem servidor é um modelo de computação em nuvem que transfere todas as tarefas de gerenciamento de infraestrutura de back-end para o provedor de cloud, o que otimiza o tempo e esforço dos desenvolvedores.

O modelo Serverless executa o código do aplicativo por solicitação, aumentando e diminuindo a capacidade da infraestrutura de suporte automaticamente.

Como o consumidor paga por demanda, essa resposta automática ao número de solicitações também proporciona uma redução e controle de gastos.

>>Leitura recomendada: IaaS PaaS e SaaS

 

Formas de Implementação do Cloud Computing

Nuvem Pública

A nuvem pública é um tipo de computação em nuvem que é acessível em toda a internet, ou seja, o provedor de serviços de computação disponibiliza os recursos IaaS, PaaS e SaaS por meio da internet pública, de forma gratuita ou por assinatura.

De acordo com as previsões analisadas pela empresa Gartner, até o final de 2022 as receitas globais de cloud pública ultrapassaram os 330 milhões de dólares.

O Dropbox, por exemplo, alcançou 13,2 milhões de assinantes. Um dos serviços pioneiros da Cloud Computing foi o e-mail, em que uma grande quantidade de informações é armazenada e trocada, sem que o computador do usuário tenha que armazenar dado algum. Segundo uma pesquisa divulgada pela Martech, empresa especializada em marketing e computação, a média global de e-mails enviados mensalmente é de 1,47 milhões.

Nuvem privada

A infraestrutura de nuvem privada fica em um ambiente restrito e exclusivo, como uma empresa, e apenas funcionários ou parceiros têm acesso. Pode ser gerida pela própria empresa, por um terceiro ou por uma combinação deles (existindo fora e dentro das instalações).

Esse cenário de implementação combina diversos benefícios da Cloud Computing:

  1. facilidade de entrega de serviço;
  2. escalabilidade;
  3. elasticidade;
  4. segurança e
  5. customização de recursos.

Muitas empresas escolhem a nuvem privada por ser a maneira mais fácil de customizar de acordo com seus requisitos e interesses. Outras a escolhem por lidarem com muitos documentos confidenciais e outros dados sensíveis.

Nuvem híbrida

A nuvem híbrida é uma composição de duas ou mais nuvens, privadas ou públicas. Apesar de continuarem como entidades únicas, elas se conectam por uma infraestrutura para a execução de aplicativos e cargas de trabalho da empresa, proporcionando a flexibilidade entre as nuvens, escolhendo qual a carga de trabalho ideal para cada uma delas. Isso estabelece uma boa relação custo-benefício para as empresas, em comparação ao uso de uma nuvem pública ou privada sozinha.

Multicloud e multicloud híbrida

Quando as empresas falam em Multicloud, normalmente estão falando sobre usar múltiplos serviços em nuvem, mas a Multicloud é o uso de duas ou mais nuvens públicas diferentes com um ambiente de nuvem privada. Essa parece ser uma alternativa para evitar o aprisionamento tecnológico e mais alternativas entre os serviços, porém é necessário maior gerenciamento e organização ao utilizar tantos serviços simultaneamente.

>> Leitura Recomendada: Como gerenciar suas aplicações em nuvem com a Infrastructure as a Code (IaC)

 

Quais são os benefícios do Cloud Computing?

A Cloud Computing oferece múltiplos benefícios, comparada à TI tradicional e utilizando o modelo de implementação adequado às suas necessidades, a nuvem pode ajudar a:

  • Reduzir os custos de TI, já que os serviços de Cloud Computing cobram pelo que você usa, então a nuvem permite instalar, configurar e gerenciar a sua infraestrutura com redução de gastos. Há também economia em relação à aquisição e manutenção de servidores, que passa a ser mínima, por não serem mais físicos;

  • Implantar novas experiências para o cliente com muita agilidade, além de oferecer suporte e análises que não poderiam ser entregues com plataformas de TI tradicionais;

  • Escalar mais facilmente e com custo-benefício, afinal vários recursos são compartilhados por todos os usuários que possuem acesso à cloud em questão. A escalabilidade, além de auxiliar a desenvolver uma cultura organizacional de tomada de decisão colaborativa na empresa, também pode levar seus aplicativos e processos de forma mais transparente ao usuário.

  • Estar sempre atualizado, já que com o SaaS, os novos recursos adicionados pelo provedor são automaticamente atualizados, sem necessidade de nenhum trabalho;

  • Proteger os dados do aplicativo ou serviço, já que uma vez que os dados estejam na nuvem, não há risco de perda por falha ou quebra de dispositivo.

>>Leitura recomendada: Como utilizar FinOps para gerenciar os custos com cloud computing 

 

Como escolher o melhor serviço de nuvem?

A oferta de serviços de nuvem está aumentando, assim como as empresas adeptas a eles. No UK e no Bahrein, os governos adotaram políticas que priorizam a Cloud Computing para estimular inovação, aumentar a agilidade e melhorar os serviços para a população. Mas como escolher o melhor serviço de nuvem entre tantas opções?

O primeiro passo é entender as necessidades do seu negócio, qual o momento em que ele está e onde quer chegar. Se sua empresa está passando de trabalho presencial para totalmente remoto, há certos serviços que vão ser mais assertivos, já que seu principal objetivo é comunicação entre áreas e colaboradores e armazenamento de dados. Caso seu foco seja a interação do usuário com o sistema, onde vários clientes poderão ter acesso, outros serviços podem te dar melhor suporte.

Tendo em mente suas prioridades, é necessário avaliar o serviço de cada um dos provedores de cloud e considerar qual o suporte que ele oferece, o pós-venda e o quadro de clientes, se for possível. É necessário que o suporte vá além de um canal de atendimento, que seja efetivo.

Escolha sempre o provedor que esteja de acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados; ele deve oferecer um sistema de segurança da informação, além de se manter sempre atualizado quanto a essa questão e outras tecnologias. Levando essas considerações em conta, ficará mais simples escolher um bom serviço de Cloud Computing que ajude sua empresa a se atualizar.

>> Leitura Recomendada: Como planejar uma migração para a nuvem eficaz

 

As inovações ligadas à Cloud Computing

Conectar as partes envolvidas em todo o ecossistema é imprescindível quando falamos de inovação. É tão necessário conectar pessoas quanto conectar dados: desenvolvedores, pesquisadores e designers integrados, alojados na nuvem, para dar vida às inovações disponíveis para todos.

Com a Cloud Computing, a infraestrutura deixa de ser um grande problema, já que automatizadas, as empresas possuem infraestruturas capazes de atender picos de demanda, pagando apenas pelo que é consumido. Além disso, o uso de aplicativos SaaS, onde tecnologias cognitivas são incorporadas ao software, tem o potencial de aumentar a aceitação de IA e outras tecnologias emergentes.

>>Leitura recomendada: Data Analytics: o suporte ideal para a tomada de decisões

 

Segurança em Cloud Computing

Segurança de dados em Cloud Computing é fundamental, seja em nuvens públicas, privadas ou híbridas. O acesso ilícito a dados é apenas um dos problemas que as empresas enfrentam quando implantam aplicativos e informações confidenciais na nuvem e esse tem sido o principal obstáculo para quem considera usar serviços em Cloud. Mas é possível conter esses problemas de segurança gerais e específicos de SaaS, PaaS e IaaS.

A maioria dos provedores de serviços em Cloud vêm aumentando suas soluções em segurança. Segundo o provedor de software de segurança McAfee, 52% das empresas experienciam melhor segurança em cloud do que com TI tradicional. Geralmente, o provedor de cloud é responsável por garantir a infraestrutura em cloud, e o cliente é responsável por proteger seus dados, ou seja, há uma corresponsabilidade por esses dados, que devem ser criptografados.

A comunicação está no centro da questão: processos claros e coesos entre TI, operações e equipes de segurança asseguram processos em cloud seguros e sustentáveis. Caso necessite dar acesso a muitas pessoas à nuvem, sua empresa pode contar com um provedor de identidade centralizado para gerenciar identidades e credenciais.

Considere os tipos de armazenamento em nuvem e as opções para SaaS, PaaS e IaaS, independentemente da forma de implantação. Cada serviço oferece diferentes recursos de segurança e proteção.

Quer conversar mais sobre Cloud Computing e levar sua empresa para a nuvem? Entre em contato com a Opus, temos soluções que podem ajudar a sua empresa a fazer essa jornada de forma segura.

modernização de aplicações

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Newsletter

Insights de tecnologia para você!

Não compartilharemos seu e-mail com terceiros e também prometemos não enviar spams. Ao informar seu e-mail, você concorda com nossa Política de Privacidade.

Conteúdos relacionados

Veja nesse artigo sobre inteligência artificial para negócios como adorar a IA de forma eficácia com o seu time.
Confira nesse artigo como é possível alcançar a Hiperprodutividade no desenvolvimento de software com o uso da IA.
Veja nesse artigo de Edison Kalaf, sócio diretor da Opus Software, como a TI não é apenas operacional, mas um agente ...