O que é governança de dados e como gerar valor com sua implementação

A governança de dados é o conjunto de práticas que as organizações possuem para gerenciar a disponibilidade, usabilidade, integridade e segurança dos dados em sistemas corporativos. Ela define as políticas internas, que se aplicam ao controle do uso de dados e à forma como eles são coletados, armazenados, processados e descartados.

Segundo o levantamento realizado pelo Comitê Gestor de Internet no Brasil, somente 23% das instituições possuem uma área direcionada a garantir a proteção de dados, mesmo aquelas empresas que possuem dados sensíveis, como biometria e dados de saúde.

Uma governança  eficaz garante que os dados confiados à sua organização sejam consistentes e não sejam mal utilizados.

Toda empresa necessita de governança de dados para se manter competitiva no mercado. Sem os dados, não pode haver transformação digital ou ideias inovadoras que alimentem iniciativas relevantes. Atualmente, os dados se tornaram o ativo mais valioso que as empresas possuem, e por isso, uma governança eficaz requer repensar seu design organizacional.

A equipe de governança, o comitê de direção e um grupo de administradores de dados trabalham juntos para criar os padrões e políticas, bem como os procedimentos de implementação e execução. Outros representantes das operações de negócios também participam, além das equipes de TI e gerenciamento de dados.

A governança de dados não é baseada em decisões, como o gerenciamento de dados, mas em filosofia, em cultura empresarial. Ou seja, está mais próxima das metodologias de business intelligence. Para a governança de dados é crucial aprimorar as habilidades analíticas para gerenciamento de dados e melhorar as habilidades de tomada de decisão.

O problema é que a maioria dos programas de governança hoje é ineficaz, começando no topo, com aqueles que não reconhecem o potencial de criação de valor na governança de dados. Isso faz com que a governança  se resuma a um conjunto de políticas e orientações relegadas a uma função de suporte, executada pela equipe de TI.

Continue a leitura deste artigo e conheça os objetivos da governança de dados e seu potencial de geração de valor para o negócio.

Por que a governança de dados é importante?

A Pesquisa Global de Transformação de Dados de 2019, realizada pela McKinsey, relatou que uma média de 30% do tempo total das empresas foi gasto em tarefas sem valor agregado, devido à baixa qualidade e disponibilidade dos dados. Ou seja, sem uma governança eficaz, diversas inconsistências são criadas, oportunidades e recursos perdidos.

Ao garantir que os dados estejam seguros, privados, utilizáveis e em conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), além das políticas de dados internas, a governança de dados permite escalabilidade e diminuição de esforços de integração, com uma quantidade de erros também menor.

Por exemplo, se os nomes dos clientes estão listados de forma diferente nos sistemas de vendas, logística e atendimento ao cliente, isso pode complicar a integração de dados e criar problemas que afetam a precisão da inteligência de negócios, relatórios corporativos e aplicativos analíticos.

Quais seus objetivos?

A governança de dados possui três objetivos principais, que visam a criação de valor, controle e suporte de todos que possam acessá-los: quebra de silos; uso adequado e equilíbrio entre coleta e privacidade.

Quebra de silos de dados

Principalmente quando falamos de big data, não raro os silos de dados se tornam um problema. Se a empresa não possui uma coordenação centralizada ou uma arquitetura de dados, os silos, ou seja, os estoques isolados de informações, se desenvolvem de maneira não harmoniosa. A governança, por meio de um processo colaborativo, visa organizar esse processo.

Uso adequado de dados

Desde a implementação da LGPD, em 2018, os procedimentos de monitoramento e uso de dados são indispensáveis para mantê-los seguros e consistentes. A governança de dados permite que os dados sejam usados adequadamente, evitando erros nos sistemas e o uso indevido de dados pessoais de clientes e informações confidenciais, por meio de políticas e regulações.

Equilíbrio entre coleta e privacidade de dados

As práticas de coleta de dados e os mandatos de privacidade parecem ser grandes inimigos, mas não são. Uma boa governança vai garantir o equilíbrio entre a entrada de novos dados precisos e a sua privacidade e seguridade, oferecendo o suporte durante todo o ciclo de vida dos dados.

Melhores práticas de governança de dados

Há muito no que se pensar ao desenvolver uma estratégia de governança de dados bem estruturada, mas com a equipe e o know-how certos, uma estratégia bem-sucedida criará processos de gerenciamento e coleta de dados eficazes e produtivos e estabelecerá padrões futuros para a organização.

Algumas organizações se destacaram nas práticas de governança de dados e, seguindo seus exemplos, podemos listar algumas boas práticas que farão sua empresa ter sucesso e manter os dados seguros.

1. Organize os dados que você já possui

Faça um balanço de todos os dados existentes, classifique-os e priorize-os. Eles fornecerão uma imagem mais clara de quais dados são mais cruciais para o seu negócio e como eles podem ser coletados, armazenados e usados. Isso também mostrará quais dados ainda estão faltando.

2. Incorpore princípios básicos da governança de dados

Todas as organizações precisam incorporar os princípios básicos de governança de dados, como uma base legal para coletar dados: qual o meio de processamento, quem terá acesso a ele e etc. Uma estratégia de governança  só pode ser eficaz se for construída sobre esses princípios básicos legalmente compatíveis.

3. Padronize seus dados

Uma estratégia sólida de governança de dados inclui pensar em como maximizar a usabilidade dos dados e isso começa com uma padronização sólida. Os dados fazem parte de um sistema organizacional e, portanto, devem ser transparentes, ponderados e sincronizados para que beneficiem a todos.

4. Comunique-se claramente com as partes interessadas

A comunicação é uma parte extremamente importante em toda e qualquer iniciativa dentro de uma organização. Ao comunicar claramente a importância, o impacto, as expectativas e os objetivos, você consegue que as pessoas certas se comprometam com a visão e evite surpresas que frequentemente podem inviabilizar as iniciativas de governança de dados.

5. Mapeie as ferramentas necessárias para atingir as metas

A governança é uma maratona, não uma corrida. Você deve mapear as ferramentas necessárias para atender às suas metas de privacidade, qualidade, segurança e acessibilidade de dados. Entender o custo das soluções antecipadamente oferece a você o melhor ponto de vantagem ao escolher parceiros e soluções.

6. Esclareça quem tem autoridade para acessar, usar e transferir dados

Deixar claro quem tem autoridade para acessar, usar e transferir dados é essencial para uma estratégia eficaz de governança de dados. Para isso, deve haver um indivíduo ou grupo que supervisione seu desenvolvimento e implementação. Treine sua equipe sobre as melhores práticas pelo menos uma vez por trimestre, para que a segurança esteja sempre atualizada, assim como os protocolos.

>> Leitura recomendada: Cultura ágil: todas as empresas precisam de business agility?

Como gerar valor para o negócio com a governança de dados?

Segundo o estudo “The Digitization of the World from Edge to Core“, mais de 5 bilhões de consumidores interagem com dados todos os dias e em 2025, esse número será de 6 bilhões, o equivalente a 75% da população mundial. Embora seja desafiador atribuir valor direto à governança, há exemplos de seu valor indireto: empresas líderes eliminaram milhões de dólares em custos de seus ecossistemas de dados, e a governança de dados é uma das três principais diferenças entre empresas que capturam esse valor e empresas que não o fazem.

Além disso, as empresas que investiram pouco em governança expuseram suas organizações a riscos regulatórios, que podem ser caros. Cinco práticas são necessárias para garantir que a governança gere valor:

1. Atenção da alta administração

A adesão da liderança empresarial é imprescindível e a primeira etapa é que o C-level entenda suas necessidades, destaque os desafios e limitações atuais dos dados. Uma estratégia é vincular os esforços de governança aos de transformação digital contínua, que chamam a atenção do CEO.

Normalmente esses esforços que impactam diretamente nos custos e lucros da organização dependem da disponibilidade e qualidade dos dados e, assim, provam que a governança gera valor.

2. Priorize ativos de dados

Muitas organizações analisam todos os ativos de dados de uma só vez, mas quando tratamos de uma grande quantidade de dados, big data, é necessário pensar em um progresso relativamente lento. Os ativos de dados devem ser priorizados de duas maneiras: por domínios e por dados dentro de cada domínio.

3. Aplique o nível certo de governança

Os programas de governança de dados podem variar drasticamente entre organizações e setores. As organizações líderes adotam uma abordagem “baseada nas necessidades”, aderindo ao nível de sofisticação de governança apropriado para sua organização e, em seguida, ajustando o nível de rigor por conjunto de dados.

O modelo de governança mais abrangente terá um conselho robusto de governança de dados para conduzi-lo; um alto grau de automação com metadados registrados em um catálogo de dados.

4. Escolha uma implementação iterativa e focada

Para garantir que a governança de dados crie valor rapidamente, adapte as prioridades de governança ao domínio e use a iteração para fazer isso rapidamente.

Isso vai além da integração da governança com as necessidades de negócios, priorizando casos de uso e domínios e aplicando a governança baseada em necessidades; a chave é adotar princípios iterativos na governança diária. Por exemplo, se houver um acúmulo de problemas conhecidos de qualidade de dados, revise e priorize novamente diariamente, trabalhando para maximizar o benefício para os negócios à medida que as prioridades mudam.

5. Gere entusiasmo e mudança de cultura

Quando as pessoas estão entusiasmadas e comprometidas com a visão de capacitação de dados, é mais provável que ajudem a garantir que os dados sejam de alta qualidade e seguros, por isso, promover a mudança cultural em sua organização é uma atividade essencial. As organizações líderes investem em gerenciamento de mudanças para criar apoiadores de dados e converter os céticos.

Algumas organizações também oferecem treinamento e qualificações, geralmente como parte de uma abordagem acadêmica mais ampla, junto com a comunicação sobre oportunidades de carreira em trabalhos de dados. Outros usaram sucessos em dados e análises para criar empolgação na forma de eventos e publicações. Isso dependerá da cultura organizacional.

>> Leitura recomendada: Como inovar e agilizar seus processos com a Governança de TI

Como implementar a governança de dados na sua organização

As organizações devem começar sua nova abordagem de governança de dados fazendo estas perguntas:

  • Qual é a redução de custos que terei se aplicar a governança de dados, em termos de vantagem competitiva, tempo de limpeza manual de dados ou decisões de negócios incorretas?
  • Quem está liderando os esforços de governança hoje?
  • Quem deve estar envolvido?
  • Qual tipo de governança se adapta melhor à organização?
  • Eu tenho os recursos internos para gerenciar essa mudança?

Geralmente é o chief data officer (CDO) que supervisiona um programa de governança de dados e tem responsabilidade de alto nível por seu sucesso ou fracasso. Se uma organização não tiver um CDO, outro executivo C-suite cuidará das mesmas funções, sendo elas: aprovação, financiamento e pessoal para o programa e um papel de liderança na sua criação e monitoramento. A implantação de sistemas de big data também adiciona novas necessidades e desafios de governança.

Os benefícios que a governança de dados oferece incluem melhor qualidade dos dados; custos de gerenciamento de dados mais baixos; e maior acesso aos dados necessários para cientistas de dados, outros analistas e usuários de negócios, melhorando a tomada de decisões e fornecendo melhores informações aos executivos.

A governança de dados é fundamental para capturar valor por meio de análise e outras oportunidades transformadoras. A mudança de mentalidade é essencial para o sucesso quando se trata de estratégias de governança de dados.

Venha conversar mais sobre governança de dados com a OPUS! Podemos te ajudar a criar uma estratégia para a sua organização.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Newsletter

Insights de tecnologia para você!

Não compartilharemos seu e-mail com terceiros e também prometemos não enviar spams. Ao informar seu e-mail, você concorda com nossa Política de Privacidade.

Conteúdos relacionados

Descubra adotar a IA generativa nas empresas e potencializar a produtividade e inovação das equipes de TI no desenvol...
Veja como será futuro dos meios de pagamento, que está se transformando com a digitalização, a adoção de tecnologias ...
Descubra quais as principais atividades de desenvolvimento de software que podem ser automatizadas e pela GenAI.