Internet das coisas – Quais as oportunidades de negócios com IoT

Já se foi o tempo que o único dispositivo conectado à internet na sua casa ou escritório era o computador. Depois que os smartphones alavancaram a internet móvel, surgiram cada vez mais aparelhos inteligentes conectados à rede. E estamos apenas começando: a tendência é que cada vez os objetos que utilizamos estejam conectados. Esse contexto é conhecido como Internet das Coisas, ou IoT — sigla em inglês para “Internet of Things” um mercado promissor principalmente para o B2B. Segundo a Bain & Company, em 2020 a internet das coisas no B2C gerará US$ 150 bilhões; enquanto as B2B movimentarão US$ 300 bilhões. Mas, qual a ideia por trás da internet das coisas?

“Qualquer coisa que puder ser conectada, será conectada”, resume o analista Jacob Morgan, na Forbes. Seu smartphone estará conectado à sua cortina e, quando acordar, ela se abrirá. Assim que você colocar os pés no seu chinelo inteligente, ele avisará sua cafeteira, que começará a preparar o café. Antes, você irá tomar um banho em um chuveiro que já chama seu Uber. Esse é apenas um exemplo do futuro que a internet das coisas pode oferecer, com tudo conectado. Mas os principais  estão no mercado B2B. O setor automotivo, por exemplo, com os carros inteligentes, promete usar muito mais a conexão em seus veículos.

O setor de construções também mira em sensores ultraconectados para acelerar processos e garantir segurança do trabalho. Embora a indústria já caminhe nessa direção, com smartphones mais poderosos, assistentes de voz e sensores em inovações industriais, a tendência é aumentar consideravelmente.

De acordo com a IoT Analytics, em 2018 existiam 7 bilhões de objetos conectados no mundo; mas em 2025 o número pode chegar a 21,5 bilhões. Ainda são necessários avanços em sensores e sistemas para que o mercado de IoT avance. Mas um dos elementos mais importantes para o futuro da internet das coisas é a conexão — afinal, um número tão grande de dispositivos conectados gastará muito mais banda. Por isso, muitos especialistas afirmam que o 5G será a tecnologia que revolucionará a IoT. E, por isso, a expectativa é que a internet das coisas cresça muito mais rápido na próxima década, quando haverá mais conectividade.

Oportunidades de negócios com internet das coisas

O avanço da Internet das Coisas irá impactar diversos mercados. Essas são algumas das principais oportunidades oferecidas pelo crescimento do setor:

Acessar mais dados

Já é uma unanimidade de que dados representam uma grande vantagem competitiva para os negócios. Independente do setor, ter dispositivos conectados abre a possibilidade de obter dados relevantes para as empresas, que podem auxiliar em atividades importantes, como por exemplo criar um perfil mais preciso de seus clientes.

Melhorar processos de logística

Imagine um cenário com carros autônomos, depósitos cheios de sensores e toda mercadoria conectada à rede e com GPS. Nesse contexto, os processos de logística tem o potencial de se tornarem muito mais precisos, automatizados e eficientes.

Mais produtividade

Com a Internet das Coisas, a tendência é que os funcionários consigam trabalhar de forma eficiente. Alguns exemplos nesse sentido são o uso de assistentes de voz, e a possibilidade de automação de atividades, principalmente na indústria.

Mais engajamento do cliente

Quando os produtos se tornarem inteligentes, eles passarão a entender melhor a rotina e o perfil dos usuários, oferecendo oportunidades para as empresas criarem mais engajamento e, consequentemente, se tornando uma ferramenta mais importante na vida deles.

A segurança na Internet das Coisas

Em um mundo com tantos dispositivos conectados, é ainda mais urgente discutir a segurança. Afinal, não só mais dados sensíveis estarão sendo coletados, como também haverá muito mais dispositivos que precisam ser protegidos. Um dos principais problemas, nesse caso, é que mais dispositivos conectados significam mais softwares precisando ser atualizados para manterem-se seguros. Cuidar da segurança de seu computador é uma coisa, cuidar das atualizações da cafeteira até a televisão, é outra.

Além disso, hackear carros autônomos, meios de pagamento ou instrumentos de segurança pública, por exemplo, pode ter efeitos muito perigosos. Por isso, empresas que pretendem trabalhar com IoT devem investir pesado em segurança, para mitigarem ao máximo o risco de ataques e a consequente exposição de seus usuários.

As possibilidades da Internet das Coisas

A Internet Das Coisas pode atuar em mercados diversos – indo de meios de pagamento a eletrodomésticos.  Abaixo damos alguns exemplos de usos já acontecendo com Internet das Coisas.

Casas inteligentes

Google e Alexa estão mirando em especial nesse mercado, principalmente com os assistentes de voz. O Google, inclusive, comprou em 2017 a Nest, uma empresa de termostatos inteligentes, por US$ 3,2 bilhões. Os assistentes virtuais dessas empresas (Google Assistant e Amazon Alexa), por exemplo, roubaram espaço na CES, mostrando que se integravam aos mais diferentes dispositivos caseiros – de geladeiras a privadas inteligentes.

Meios de pagamento

O NFC já é uma tecnologia de pagamento comum em vários países – e, no Brasil, cada vez mais máquinas de cartão já trabalham com essa possibilidade. A adoção da tecnologia pode permitir que as pessoas paguem usando seus smartphones ou relógios inteligentes de forma segura e prática.

Drones

Outro uso já sendo testado é o de drones, principalmente no varejo. A Amazon, por exemplo, já testa a tecnologia para fazer entregas. Mas, para que o sistema avance, mais dispositivos conectados à internet das coisas é essencial: afinal, drones viajando por aí são muito mais eficientes quando obtém informações de postes, carros e outros objetos que encontrarem no itinerário.

fique atualizado

Assine nossa newsletter e acompanhe as nossas novidades.

© 2019 Opus Software. Todos os direitos reservados. All rights reserved.