Internet das coisas – Quais as oportunidades de negócios com IoT

Já se foi o tempo que o único dispositivo conectado à internet na sua casa ou escritório era o computador. Depois que os smartphones alavancaram a internet móvel, surgiram cada vez mais aparelhos inteligentes conectados à rede. E estamos apenas começando: a tendência é que os objetos que utilizamos estejam cada vez mais conectados. Esse contexto é conhecido como Internet das Coisas, ou IoT — sigla em inglês para “Internet of Things”.

Para se ter uma ideia do tamanho desse mercado, segundo a Bain & Company, em 2020 as aplicações de internet das coisas para o consumidor vão gerar US$ 150 bilhões. Já no B2B, a movimentação será de US$ 300 bilhões.

De acordo com a IoT Analytics, em 2018 existiam 7 bilhões de objetos conectados no mundo; mas em 2025 o número pode chegar a 21,5 bilhões. Ainda são necessários avanços em hardware e software para que o mercado de IoT avance, mas um dos elementos mais importantes para o futuro da internet das coisas é a conexão — afinal, um número tão grande de dispositivos conectados exige muito mais banda. Por isso, muitos especialistas afirmam que o 5G será a tecnologia que revolucionará a IoT.

 

Oportunidades de negócios com internet das coisas

“Qualquer coisa que puder ser conectada, será conectada”, resume o analista Jacob Morgan, na Forbes. Celular, relógio, geladeira, televisão e aparelhos de iluminação já podem ser conectados a internet e funcionar de forma mais inteligente e integrada.

No setor automotivo, por exemplo, os carros estão usando cada vez mais a conexão, e os veículos autônomos já são uma realidade. Já na indústria, sensores ultraconectados são utilizados para acelerar processos e garantir a segurança do trabalho.

A seguir trouxemos as principais oportunidades de negócio oferecidas por essa tecnologia:

 

Acessar mais dados

Quanto maior o número de dispositivos conectados, maior a capacidade de capturar dados. O acesso a dados representa uma grande vantagem competitiva para as empresas, e se bem manipulados, eles podem gerar insights importantes para as áreas de negócio, que utilizarão como base para a criação de novos produtos, campanhas e estratégias. Além disso, os dados são a matéria prima para a criação de sistemas de machine learning.

Melhorar processos de logística

Com o uso dispositivos conectados, os processos de logística tem o potencial de se tornarem muito mais automatizados e eficientes. A Amazon é uma empresa que consegue explorar de forma muito eficiente o potencial da internet das coisas nos processos de logística, utilizando robôs e sensores em seus centros de distribuição.

Mais produtividade

Com a Internet das Coisas, a tendência é que o trabalho das pessoas seja mais eficientes. Na indústria, por exemplo, o uso de sensores contribui para automatizar atividades de mensuração de indicadores importantes como temperatura, pH e pressão.

Mais engajamento do cliente

Na medida que os produtos tornam inteligentes, eles passam cada vez mais a fazer parte da rotina das pessoas. Dessa forma, dispositivos conectados oferecem oportunidades para as empresas criem mais pontos de engajamento com o consumidor, e consequentemente se tornando uma marca mais presente em suas vidas.

A segurança na Internet das Coisas

Em um mundo com tantos dispositivos conectados, é ainda mais urgente discutir a segurança. Afinal, não só mais dados sensíveis estarão sendo coletados, como também haverá muito mais dispositivos e sistemas que precisam ser protegidos e atualizados.

Além disso, hackear carros autônomos, meios de pagamento ou instrumentos de segurança pública pode ter efeitos muito graves. Por isso, empresas que pretendem trabalhar com IoT devem investir pesado em segurança, para mitigarem ao máximo o risco de ataques e a consequente exposição de seus consumidores.

Aplicações da Internet das Coisas

A Internet Das Coisas já é usada por empresas em diversos mercados – indo de meios de pagamento a eletrodomésticos. Abaixo trouxemos alguns exemplos:

Casas inteligentes

Google e Alexa estão mirando em especial nesse mercado, principalmente com os assistentes de voz. O Google, inclusive, comprou em 2017 a Nest, uma empresa de termostatos inteligentes, por US$ 3,2 bilhões. Os assistentes virtuais dessas empresas (Google Assistant e Amazon Alexa), por exemplo, roubaram espaço na CES, mostrando que se integravam aos mais diferentes dispositivos caseiros – de geladeiras a privadas inteligentes.

Meios de pagamento

O NFC já é uma tecnologia de pagamento comum em vários países – e, no Brasil, cada vez mais máquinas de cartão já trabalham com essa possibilidade. A adoção da tecnologia pode permitir que as pessoas paguem usando seus smartphones ou relógios inteligentes de forma segura e prática.

Drones

Outro uso já sendo testado é o de drones, principalmente no varejo. A Amazon, por exemplo, já testa a tecnologia para fazer entregas.

 

 

fique atualizado

Assine nossa newsletter e acompanhe as nossas novidades.