opus open banking

OPUS Open Banking: solução completa e segura

OPUS Open Banking é a solução desenvolvida pela OPUS Software para viabilizar a implementação do open banking nas instituições financeiras, cumprindo todas as exigências e requisitos do Banco Central (BC), o órgão regulador dessa iniciativa aqui no Brasil.  

Open Banking é conceito que vem sendo aplicado no mundo todo, como forma de aumentar a competitividade no mercado financeiro. Ele permite que os titulares dos dados (ou os clientes) possam compartilhar suas informações financeiras como e onde quiserem. A expectativa é melhorar os serviços e o atendimento prestado pelas instituições e fomentar a criação de novos modelos de negócio.  

Até mesmo porque, o open banking e a transformação digital estão intimamente ligados. Isso acontece porque inovação e desenvolvimento tecnológico são ingredientes fundamentais para a criação de diferenciais competitivos.  

Portanto, encarar o open banking como uma oportunidade de inovação e não apenas como uma necessidade regulatória, pode representar um salto no seu posicionamento de mercado, evitando prejuízos no futuro.  

Nesse post, você vai conhecer todos os detalhes da solução OPUS Open Banking 

 

Implementação Open Banking

De acordo com as diretrizes oferecidas pelo Banco Central, o open banking será implementado no Brasil em 2021, ao longo de 4 fases. Cada uma delas corresponde a um tipo de compartilhamento de dados ou serviços.  

Fase 1 – 01/02/2021 

Na primeira fase os participantes disponibilizam ao público informações sobre canais de atendimento e detalhes sobre os produtos e serviços que já oferecem.  

Nesse momento, não há compartilhamento de dados de nenhum cliente.  

Fase 2 – 15/07/2021 

Nessa fase os clientes, se quiserem, poderão solicitar o compartilhamento de seus dados cadastrais, informações sobre transações em suas contas, cartão de crédito e produtos de crédito com outras instituições participantes.  

O compartilhamento de dados é feito apenas mediante consentimento, com finalidades específicas e por um prazo definido. O titular dos dados pode, inclusive, cancelar essa autorização a qualquer momento.  

Fase 3 – 30/08/2021 

Aqui, surgem as possibilidades de compartilhamento de serviços de iniciação de transações de pagamento e encaminhamento de proposta de operação de crédito.  

Como já comentamos acima, é muito provável que a partir desta fase que os novos produtos e serviços comecem a surgir.  

Fase 4 – 15/12/2021 

Na quarta e última fase dados sobre outros serviços financeiros começam a fazer parte do escopo do open banking. Assim, os clientes poderão autorizar o compartilhamento de suas informações de operações de câmbio, investimentos, seguros, previdência complementar aberta e contas-salário, bem como acessar informações sobre as características dos produtos e serviços com essa natureza disponíveis para contratação no mercado. 

Lembrando que, de acordo com o comunicado 33.455 do Banco Central, é obrigatória a participação das instituições financeiras categorizadas nos segmentos 1 (S1) e 2 (S2) no open banking. Posteriormente, ele pode estender essa obrigatoriedade às demais instituições. As demais instituições (S3 a S5) são obrigadas a participar apenas na Fase 3, quando forem detentoras de contas ou iniciadoras de transação de pagamento. Além disso, qualquer instituição pode participar voluntariamente, obedecendo sempre o princípio da reciprocidade: se for consumir informações também terá que compartilhar informações.

 

Vantagens competitivas do Open Banking 

A implementação dividida em fases facilita o acompanhamento do Banco Central, garante a segurança e a privacidade dos dados. Porémvocê pode aproveitar esse movimento de mercado para aderir com antecedência as mudanças e já começar a explorar os benefícios.  

As instituições participantes do open banking vão conseguir realizar análises de dados mais completas, e por consequência conhecer melhor o comportamento de seus clientes, claro, respeitando as diretrizes da Lei Geral de Proteção de Dados, que está em vigor no Brasil desde agosto/20 

Dessa forma, a capacidade e agilidade de analisar essas informações, obtendo insights para melhorar o atendimento, oferecer experiências personalizadas ou mesmo criar serviços (de acordo com as necessidades identificadas) são verdadeiras vantagens da adesão antecipada ao open banking.  

Outras vantagens são:  

 – Melhoria na prestação de serviços: “Quando não há atendimento qualificado e de qualidade, todo esse rol de serviços financeiros vira sopa de letrinhas para os clientes. O que era solução vira uma confusão”, afirmou Fernando Katsonis, CEO da Lifetime Investimentos, em entrevista ao portal da revista Examesobre os impactos do open banking. Ou seja, com o aumento da competitividade e maior oferta de serviços, aqueles que oferecerem a melhor experiência de atendimento terão mais chances de conquistar o mercado 

 – Aumento na fidelização: neste item estamos falando especificamente sobre o timing. A demora na adesão ao open banking pode significar uma queda na sua lista de clientes, justamente porque eles vão aproveitar esse momento para encontrar o serviço que vai melhor atendê-los. Portanto, é uma estratégia interessante usar esse momento para investir na fidelização.  

 – Conquista de novos mercados: A expectativa, como já comentamos, é que novos modelos de negócio possam surgir com o open banking, justamente por conta da análise de dados. Fazendo assim, com que muitas oportunidades sejam criadas.  

 – Proteção contra outros players: um dos objetivos do open banking é aumentar a competitividade. Portanto, uma adesão antecipada permite que você consiga explorar esse mercado para manter a sua relevância ou aumentar o seu reconhecimento.  

 – Parcerias: oportunidade de parceria com fintechs ou empresas terceirizadas para alcançar novos mercados. Além disso, bancos também podem se tornar fornecedores de serviços de informação e pagamentos, oferecendo novos produtos.  

>>Leitura recomendada: API open banking: descubra o que é, como aplicar, dicas de segurança e padronização

OPUS Open Banking 

Agora que você já conhece as vantagens da implementação do open banking chegou a hora de conhecer o OPUS Open Banking!  

O OPUS Open Banking é uma solução pronta (disponível on-site ou em nuvem), que implementa um middeware no ambiente de instituições financeiras, de pagamento ou de demais participantes do sistema, permitindo que se integrem ao open banking Brasil, de acordo com todas as exigências do Banco Central.  

Nossa solução foi desenvolvida seguindo os padrões mais elevados de segurança e proteção de dados do mercado. Portanto, ela possui:  

  • Arquitetura de microsserviços 
  • Componentes de API Management 
  • Gestão de Identidade.  

A comunicação bidirecional possibilita o princípio da reciprocidade. Ou seja, as instituições podem utilizar o OPUS Open Banking tanto para serem transmissoras, expondo seus dados e serviços para outras instituições que participam do open banking, quanto para serem receptoras, abrindo a possibilidade de acesso às informações e serviços fornecidos pelos demais participantes do ecossistema open banking. 

Para que as informações e os serviços sejam acessados, o middleware integra-se com as bases internas do banco, os sistemas legados e as demais fontes de informação.  

Portanto, além de permitir a intercomunicação de todos esses componentes, as outras funcionalidades implementadas no OPUS Open Banking, são 

 

  • Fluxos de autenticação; 
  • Gestão de consentimento de acesso a dados;  
  • Status e disponibilidade dos serviços;  
  • Métricas;  
  • Gestão de APIs; 
  • Consultas administrativas;  
  • Relatórios. 

Funcionalidades OPUS Open Banking  

As principais funcionalidades que a solução OPUS Open Banking oferece são:  

  • Informações em tempo real do status dos serviços;  
  • Estatísticas de performance;  
  • Catálogo de produtos e serviços dos clientes; 
  • Catálogo dos canais da instituição;  
  • Implementação de 100% das APIs definidas pelo Banco Central;  
  • Mecanismo de aceleração das integrações com sistemas internos/legados.   

 Além disso, destacamos os seguintes benefícios da solução OPUS Open Banking:  

Implantação ágil 

Por ser uma solução pronta, o OPUS Open Banking, permite uma rápida integração ao seu legado, garantindo que ela esteja rodando no seu ambiente em pouco tempo. 

Padrões do Banco Central 

A solução segue todas as exigências de regulamentação definidas pelo Banco Central, garantindo o cumprimento dos prazos definidos para a implementação (que você conferiu no primeiro tópico deste post).  

Lei Geral de Proteção de Dados

O OPUS Open Banking também está de acordo com as diretrizes da LGPD, garantindo a proteção dos dados dos seus clientes, com uma rígida gestão de consentimento para o acesso às informações 

Gestão de consentimento 

Garante que apenas informações autorizadas pelos clientes sejam disponibilizadas 

De acordo com as exigências do Banco Central, conforme comunicado 33.455, o compartilhamento de dados, que é feito por meio de APIs, só poderá ser realizado mediante autorização expressa do usuário (essa autorização poderá ser suspensa a qualquer momento) 

Segurança

Utilizamos padrões de segurança reconhecidos mundialmente e validados pelos mercados mais exigentes.  

Escalabilidade e flexibilidade 

A arquitetura da solução em microsserviços permite que você atenda as constantes variações de demanda de forma inteligente, com escalabilidade horizontal e vertical. 

Arquitetura moderna baseada em microsserviços 

Compatível com as principais plataformas do mercado, facilmente integrada ao ambiente das Instituições.  

O OPUS Open Banking foi desenvolvido em Go e Java.   

Padrões da indústria 

Facilmente integrada ao legado existente e ainda oferece um catálogo de sistemas para modernização da sua arquitetura atual.  

Componentes da Solução OPUS Open Banking  

A solução OPUS Open Banking é formada por diferentes componentes, sendo os principais:  

API Set:  contempla o conjunto de APIs definidas pela legislação do open banking Brasil, além de sistemas e bases de dados de apoio. Ele é licenciado pela OPUS Software, de acordo com o modelo open source.  

Environment & Architeture Set (EAS): uma série de softwares que implementam serviços como API Management e clusters de microsserviços (se você já possuir esses softwares em seu ambiente, a OPUS vai configurá-los para que eles estejam de acordo com as exigências do open banking Brasil. Caso contrário, nós iremos sugerir para você um conjunto de soluções com licença open source). Os softwares de EAS são licenciados pelos respectivos fabricantes.  

Legacy Conectors: implementam a conexão com os sistemas legados do banco, sejam eles sistemas internos ou desenvolvidos por terceiros. Desenvolvido pela OPUS, são licenciados no modelo de compartilhamento de propriedade intelectual (PI).  

Se interessou pela nossa solução? É só entrar em contato com a gente!  

opus open banking