Como gerenciar suas aplicações em nuvem com a Infrastructure as a Code (IaC)

Infraestrutura como Código, do inglês Infrastructure as a Code (IaC), é uma prática importante de DevOps e um componente que ajuda na transição do gerenciamento de infraestrutura de hardware físico em data centers na nuvem.

No modelo tradicional de gerenciamento de TI, as empresas tinham que investir recursos, tempo e profissionais para a construção e manutenção de data centers físicos. A Cloud Computing chega para otimizar esse processo e otimizar custos, além de proporcionar às empresas uma nova abordagem com flexibilidade e escalabilidade.

De acordo com um estudo da Forrester de 2021, 69% das organizações brasileiras transferiram funções essenciais para a nuvem, o que atualmente é um pilar essencial para a transformação digital de uma empresa.

As práticas de IaC envolvem o uso de ferramentas de software para automatizar tarefas específicas, por meio de um sistema de controle de versão. Ou seja, sua infraestrutura pode ser escrita e descrita em código e este código pode ser executado para fazer alterações na infraestrutura. Retirar as técnicas manuais do processo facilita-o e deixa-o mais seguro.

De acordo com uma previsão publicada pela Gartner, a receita mundial do setor de software de Inteligência Artificial (IA) deverá totalizar US$ 62,5 bilhões em 2022 – o que pode representar um aumento de 21,3% em relação ao que havia sido projetado para 2021. A automação de TI permite que as equipes de DevOps dimensionem os serviços muito além do que os processos manuais podem fazer, reduzindo o tempo de entrega de novos ativos e os problemas pós-implantação.

Automatizar o gerenciamento de configuração é muito importante para manter os sistemas de ambientes de cloud seguros. Conheça mais sobre a Infrastructure as a code e como ela pode otimizar os processos e ser benéfica para sua organização.

Como funciona a IaC – Infrastructure as a code?

A automação de TI é a prática de criar e gerenciar recursos de TI com mínima ou nenhuma interação humana, desde recursos de computação virtual, armazenamento, dispositivos de rede virtual e até mesmo zonas de segurança.

De acordo com a McKinsey, cerca de 50% das atividades das organizações podem ser automatizadas com tecnologias que já existem. Porém, apenas 10% dessas tarefas são automatizadas em uma taxa acima de 90%. Ao automatizar os processos com a IaC, o gerenciamento manual de servidores, sistemas operacionais e armazenamento já não é mais necessário, acelerando a inovação em diversas áreas de uma empresa.

À medida que a Infrastructure as a code se torna o novo padrão de práticas de TI, os departamentos de TI se esforçam para fornecer continuamente, com controle de versão e testes automatizados, integrados ao processo de DevOps, de forma que a tecnologia da informação implante um pacote e suas dependências de forma consistente.

Para manter as infraestruturas seguras e eficazes, o controle de versão é muito importante, os arquivos de configuração devem pertencer à fonte como qualquer outro código-fonte de software. A IaC possui duas abordagens que podem ser utilizadas: mutável e imutável.

Infrastructure as a code mutável

A IaC mutável é aquela que precisa ser constantemente atualizada, a fim de atender às necessidades das empresas e à evolução da tecnologia. O maior problema de uma infraestrutura mutável são os desvios de configuração: a infraestrutura como um todo precisa estar em sincronia e, se parte dela muda, os profissionais de TI precisam dedicar horas na identificação de problemas e geração de soluções, para que a aplicação se mantenha segura e consistente.

Infrastructure as a code imutável

IaC imutável é sinônimo de simplicidade: uma vez implementadas as especificações, nenhuma mudança é necessária, já que os componentes irão seguir as especificações exatas sem desvio. As alterações e atualizações ainda ocorrerão, mas assim que estiverem prontas, todos os dispositivos ou configurações semelhantes são alterados de forma consistente. Isso é ótimo na perspectiva de segurança, uma vez que não dá abertura para invasões.

Há duas maneiras de implantar a infraestrutura como código: método declarativo e método imperativo, formas de instruir uma ferramenta ou um software a realizar determinado trabalho.

Método declarativo

Nesta abordagem, o profissional dá orientações e define o estado desejado do sistema, as propriedades e qual a ferramenta de IaC irá configurá-lo. A ferramenta vai se encarregar de validar, organizar e construir a sua infraestrutura baseadas em suas rotinas internas.

Método imperativo

No método imperativo, o profissional define os comandos específicos, o que precisa, como precisa e na ordem necessária para alcançar a configuração desejada. Esses comandos precisam ser executados exatamente como informado, isso exige que você saiba como as alterações deverão ser aplicadas.

Não há um melhor do que o outro, mas aquele que se adapta melhor à rotina da sua equipe de TI e às ferramentas de IaC escolhidas, que normalmente preferem um dos dois, apesar de performar bem em ambas as abordagens.

>> Leitura recomendada: Por que a automação de processos é relevante para as empresas?

Quais as relações entre IaC, Cloud e DevOps?

Segundo as tendências da Gartner para 2022, as Plataformas Nativas de Nuvem servirão de base para mais de 95% das novas iniciativas digitais até 2025. A Cloud Computing acarretou o aumento do número de componentes de infraestrutura e consequentemente, as alterações, escalas e desativações necessárias. A prática de IaC pode ajudar a organização a gerenciar a escala de infraestrutura, melhorando a consistência e reduzindo erros.

Com a Infrastructure as a code, você automatiza o provisionamento da plataforma de nuvem, aplicando práticas de engenharia de software, como teste e controle de versão, às suas práticas de DevOps.

As equipes de DevOps podem trabalhar focadas em outros processos, já que com a Infraestrutura como Código, o provisionamento deixa de ser um processo manual e demorado e passa a ser automatizado. A automação de TI é um dos princípios básicos do DevOps e, as organizações que já a utilizam, viram uma melhora significativa na otimização de tempo e na redução de custos.

A migração do gerenciamento de infraestrutura do hardware físico em data centers para virtualização, containers e Cloud Computing é essencial para a jornada de transformação digital de uma empresa e seu provisionamento e manutenção constante são fundamentais para alcançar a maturidade digital. Com a IaC, as equipes de DevOps podem trabalhar com um conjunto unificado de práticas e ferramentas, e é uma parte importante para integração e entrega contínuas, já que ela elimina a maioria do trabalho de provisionamento realizado pelos desenvolvedores.

>> Leitura recomendada: Como planejar uma migração para a nuvem eficaz

Benefícios da Infrastructure as a code para o negócio

Segundo as Top 10 Tendências de Tecnologia para 2023 da Gartner, as empresas buscam por 4 pontos-chave na automação:

1 – otimização;

2 – escalonamento;

3 – pioneirismo e

4 – soluções tecnológicas sustentáveis.

Com regulamentações, usuários e mercados dando maior ênfase à conformidade, segurança e entrega rápida de aplicativos, a automação é fundamental para se manter competitivo no mercado atual.

A automação de TI é extremamente benéfica para ajudar as empresas a gerenciar sua infraestrutura e atingir suas metas de conformidade, melhorando a eficiência da empresa enquanto garante a conformidade da infraestrutura. Os departamentos de TI costumam gastar grande parte do seu tempo em tarefas repetitivas e manuais. DevOps somado aos processos em cloud é um multiplicador que pode melhorar o desempenho em até 81%, de acordo com o relatório da Dynatrance.

Além da otimização de tempo, a Infrastructure as a code pode melhorar a consistência e reduzir erros e desvios de configuração que podem ocorrem durante a configuração manual. Ela é a base para a entrega contínua e outras práticas de DevOps, acelerando cada etapa do desenvolvimento, garantindo que os ativos de TI sejam criados e mantidos em um estado definido, aumentando a confiança e segurança e reduzindo riscos. A automação de TI com IaC ajuda as empresas a gerenciar suas necessidades.

Qual a importância do Gerenciamento de Configuração?

Uma pesquisa realizada em 2020 pela consultoria Twilio, com mais de 2.500 executivos C-level, revelou que 23% dos entrevistados acredita que a pandemia acelerou as transformações digitais e inovações para além de 10 anos, isso graças à transformação digital e à inovação disruptiva.

Com essas inovações, o gerenciamento de configuração se faz necessário. Com ele, é simples se certificar de que o sistema funcione como o esperado, ainda que alterações sejam feitas com o passar do tempo.

O gerenciamento de configuração está intimamente relacionado à avaliação da configuração e análise de desvios, mantendo os sistemas automatizados configurados e corrigidos em um único estado desejado. Tradicionalmente é feito de forma manual, mas com o avanço da Inteligência Artificial e Machine Learning, cada vez mais as empresas optam por implementar esse processo por meio de scripts personalizados, criados pela equipe de DevOps.

As ferramentas adequadas classificam e gerenciam os sistemas por grupos e subgrupos; modificam configurações básicas; automatizam atualizações e aplicações de patches; identificam configurações de baixo desempenho, desatualizadas ou fora de conformidade e implementam novas configurações em todos os sistemas aplicáveis. Implementar um processo de gerenciamento de configuração aumenta a confiabilidade e a segurança do seu negócio, já que reduz erros e complexidade de processos

Agora que você conhece mais sobre a Infraestrutura como Código, entre em contato com a gente! Podemos te ajudar a implementar o gerenciamento de configurações na sua organização.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Newsletter

Insights de tecnologia para você!

Não compartilharemos seu e-mail com terceiros e também prometemos não enviar spams. Ao informar seu e-mail, você concorda com nossa Política de Privacidade.

Conteúdos relacionados

Confira como funciona a Inteligência Artificial Geral, os impactos sociais e éticos dessa tecnologia e o que podemos ...
Veja nesse artigo como evitar drawbacks e interrupções de serviço ao utilizar Kubernetes, maximizando a eficiência.
Descubra adotar a IA generativa nas empresas e potencializar a produtividade e inovação das equipes de TI no desenvol...