De gigantes da tecnologia até startups, muitas empresas estão correndo para ganhar espaço no mercado de inteligência artificial (IA).

 

Companhias ao redor do mundo estão investindo bilhões de dólares em busca das melhores estruturas, ferramentas e profissionais para o desenvolvimento dessa tecnologia, e tudo indica que essa tendência irá continuar. Segundo a Gartner, o valor global de negócios de inteligência artificial será de $3,9 trilhões até 2022.

 

As oportunidades são enormes, e quanto a isso não há dúvidas.  Mas quem de fato irá triunfar no mercado de inteligência artificial?

Algumas empresas já ocupam posições de destaque nessa corrida: é o caso das gigantes da tecnologia Google, Apple, Amazon, IBM e Alibaba.

No entanto, muitas startups e players tradicionais também estão dispostas a brigar por uma fatia desse bolo.

 

Nesse artigo, trouxemos uma análise do mercado de inteligência artificial, buscando descobrir quais serão os prováveis vencedores nessa disputa.

 

 

O Mercado de Inteligência Artificial

 

O uso da inteligência artificial irá impactar positivamente os mais diversos setores da economia.

 

Análise de crédito, diagnóstico de doenças e produção agrícola são alguns exemplos de atividades que podem se tornar mais eficientes com o uso dessa tecnologia.

 

Como em qualquer mercado, a inteligência artificial também tem uma “cadeia de produtiva”.

 

Na base, existem os fabricantes de chips e hardwares, que processam os dados. Os provedores de infraestrutura em cloud tornam todo esse poder computacional acessível para empresas e startups.

Também existem os software e plataformas de machine learning e algoritmos cognitivos, que possibilitam que programadores criem soluções baseadas em inteligência artificial.

Por fim, empresas utilizam essa tecnologia para oferecer soluções tanto para outras empresas como para consumidores finais.

 

 

 

Chips e Hardware

 

Esse é um duelo de gigantes.

O custo de desenvolvimento de chips é muito elevado, portanto, poucos sairão vencedores nessa disputa.

Será necessário muito investimento para obter uma posição de destaque nesse mercado.

 

A Google já está na segunda geração de TPUs (Tensor Processing Units), e a Microsoft já está desenvolvendo chips de machine learning.

NVIDIA, Qualcomm, IBM, Intel e até o Facebook também estão nessa briga.

Poucas startups como a Graphcore estão se aventurando em meio aos gigantes.

 

 

Infraestrutura em Cloud

 

Trabalhar com inteligência artificial exige muito poder computacional. Soluções de Infrastructure as a Service (IaaS) e Platform as a Service (PaaS) estão atraindo cada vez as empresas para a nuvem.

Desta forma, provedores de infraestrutura em cloud como AWS, Azure e GoogleCloud irão disputar para atender essa demanda.

 

Novamente, os gigantes levarão vantagem nessa disputa. Além de Google, Microsoft e Amazon, a chinesa Alibaba e IBM também buscam espaço nesse mercado.

 

 

Algoritmos e Plataformas

 

O Google é a maior empresa de inteligência artificial do mundo. A companhia possui os melhores profissionais da área e a maior uma base de dados gigantesca vindas de seus bilhões de usuários.

Sua solução de machine learning, o TensorFlow, é um software open source utilizado milhões de organizações.

 

Outros provedores de infraestrutura em nuvem como Amazon, IBM e Microsoft também oferecem softwares para IA.

 

Além de machine learning, os algoritmos cognitivos (usados em chat bots e processamento de linguagem natural, por exemplo) também são bem relevantes dentro do mercado de inteligência artificial. IBM e Microsoft possuem diversas APIs de algoritmos cognitivos para desenvolvedores.

 

 

Vencer nesse mercado não será fácil. É necessário investir nos melhores profissionais e ter acesso a grandes bases de dados. Por esse motivo, é muito provável que as gigantes levem vantagem.

Porém, existe algum espaço para startups bem investidas e lideradas por especialistas. Exemplo disso é a Clarifai, que oferece um sistema de reconhecimento de imagens. Será comum que as gigantes comprem as poucas startups que se destacarem, como no caso da aquisição da DeepMind pela Google.

 

 

Soluções B2B

 

As oportunidades de uso da inteligência artificial em soluções corporativas são enormes. Salesforce, IBM, Oracle e SAP são os grandes players desse mercado, e já estão adotando inteligência artificial em suas ofertas.

 

No entanto, esse é um mercado mais aberto a novos entrantes do que os anteriores, devido a variedade de aplicações.

Muitas startups estão usando a inteligência artificial para oferecer soluções pontuais para o mercado B2B. Essas soluções atendem necessidades específicas de marketing, recursos humanos, segurança, entre outras.

A Petuum, por exemplo, ajuda empresas a adotarem modelos machine learning.

 

Soluções verticais

 

Saúde, serviços financeiros, agricultura e transporte – todos os setores podem evoluir muito com o uso da inteligência artificial.

Devido ao enorme leque de possíveis casos de uso, o posicionamento com foco em soluções verticais é o mais promissor para as startups. Muitas delas brigam diretamente com players tradicionais pelos consumidores finais.

 

Para vencerem, essas as startups precisarão buscar investimentos para crescer rapidamente, conhecer muito bem o setor que atuam, e ter profissionais capacitados em inteligência artificial.

Além disso, o acesso a grandes bancos de dados para treinamento das máquinas é essencial no desenvolvimento de uma solução que envolva inteligência artificial

 

A ZestFinance, por exemplo, utiliza dados, como histórico de pagamentos e transações, para otimizar a oferta de crédito para clientes.

 

 

Corporações

 

Diante de todo o potencial da inteligência artificial, as grandes empresas não poderiam deixar de investir nessa nova tecnologia.

Devido a grande quantidade de dados que possuem, as empresas tradicionais podem capturar muito valor da inteligência artificial.

 

Muitas corporações já possuem iniciativas internas voltadas para melhorar a experiência de clientes, aumentar a produtividade e reduzir custos.

Como em qualquer processo de inovação dentro de empresas grandes, será necessário paciência e investimento de longo prazo.

 

 

Países

 

EUA, China e União Europeia são os mais desenvolvidos em inteligência artificial. Apesar da liderança estadunidense com companhias como Google e Apple, os chineses estão investindo forte no desenvolvimento de seu ecossistema.

 

Questões regulatórias envolvendo privacidade poderão ser uma barreira para as empresas do ocidente, principalmente após os recentes casos de vazamento de dados, como o do Facebook.

 

Na China, esse tipo de regulamentação é mais branda, o que pode ser uma vantagem para o desenvolvimento das empresas de inteligência artificial do país.

Com um mercado enorme, as empresas de lá terão muito espaço para crescerem.

 

Na Europa, França e Reino Unido investem no ecossistema de inteligência artificial, mas temem pela fuga de seus profissionais talentosos para empresas americanas.

 

 

Conclusões

 

As gigantes da tecnologia estadunidenses e chinesas estão na liderança do mercado de inteligência artificial.

Com os melhores profissionais, bolsos cheios de dinheiro e acesso a muitos dados, será uma missão difícil para os novos entrantes desbancarem as tech giants.

 

Para isso, as startups terão que identificar rapidamente oportunidades ainda não exploradas, e estar preparadas para investir muito dinheiro.

Os poucos que conseguirem se destacar, ainda estarão sujeitos a aquisições.

No caso de soluções corporativas e verticais, as startups encontrarão a oportunidade de atender necessidades específicas, com menos concorrência e mais chance de sucesso.

 

Empresas mais tradicionais como bancos e montadoras poderão capturar muito valor da inteligência artificial, e crescer ainda mais.

 

 

 

 

Scrum - Metodologia de desenvolvimento de software
Por que os projetos de software falham?

Compartilhe

Compartilhe este post com seus amigos